O multi campeão espanhol Alfredo Gomez em 2018 vai defender as cores novamente da Husqvarna conforme postado em seu perfil no Instagram  

Agora é aguardar esta confirmação por parte da Husqvarna!

CONFIRMADO A NOTICIA! 

Confira abaixo a nota oficial

A Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing tem o prazer de anunciar o piloto espanhol Alfredo Gomez como mais novo membro do time. Gomez irá defender as cores da #Husqvarna em 2018 no Campeonato Mundial de SuperEnduro e Hard Enduro a bordo da nova TE 300i.

"Estou entusiasmado por me juntar à equipe Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing. Passando alguns dos meus primeiros anos como piloto profissional da Husky, sempre me sinto confortável de Husqvarna. Eu realmente acredito que me tornar membro do time global Rockstar Energy Husqvarna vai me ajudar a levar minha carreira ainda mais.

A mudança vem após uma das melhores temporadas da minha carreira. Ganhando duas rodadas de quatro no Campeonato Mundial SuperEnduro 2017, e garantindo o que foi uma das vitórias mais importantes da minha carreira: o Erzberg. Depois de um ótimo ano, estou confiante de que posso ganhar no SuperEnduro. Vai ser uma série difícil, mas mal posso esperar para começar na Polônia".

Por Leo "Corrosivo" direto da redação.

NOVIDADES: INSCRIÇÃO DO EI 2018 EM ATÉ 06 VEZES NO CARTÃO!

SEGUNDO LOTE ABERTO!

Confira mais no site: www.endurodaindependencia.com

Colaboração: TCMG

Se você foi ao Salão Duas Rodas provavemente viu de pertto a nova Yamaha Fazer 250 ABS toda desmontada dentro de uma caixa de vidro. A ideia da Yamaha foi mostrar aos visitantes do estandep para que pudessem conhecer a fundo a novidade, possibilitando a visãoo de todos os componentes, por sua vez dispostos de tal modo que parecem estar prestes a se encaixarem. Mais que um mero display, esta estrutura configura mais como uma obra de arte, tamanha sua beleza e precisção.

Por Leo "Corrosivo" direto do Salão Duas rodas com foto de Stephan Solon

A icônica Triumph Bonneville T100 Black chegou ao Brasil!

Inspirada nos modelos clássicos, a T100 vem com escapamento duplo, rodas e tampa do motor na cor preta fosco e o confiável motor de 900cc.

Para saber mais acesse: www.triumphmotorcycles.com.br

Por Leo "Corrosivo" direto da redação.

A região de Lesotho oferece um cenário espetacular, enquanto Wade Young ganha seu terceiro titulo do teto da África. Wade Young superou três dias de uma corrida brutal para ganhar a 50ª edição da the Motul Roof of Africa in Lesotho.

O sul-africano entrou para os livros de história depois de reivindicar sua terceira vitória no evento, chegando a frente do compatriota Travis Teasdale e a lenda britânica Graham Jarvis. 

"Regressar ao topo do pódio Hard Enduro e fazê-lo em casa na 50ª edição do Roof of Africa é muito especial"comentou Young.

"Foram duros três dias de corridas difíceis. Travis manteve-me centrado a semana toda. Consegui passar por ele em uma das subidas e mantive a posição até o fim ".

Os pilotos tiveram que navegar por trilhas nas montanha isoladas, passando por um terreno que mistura um piso rochoso e condições meteorológicas imprevisíveis, incluindo sol brilhantemente quente um dia, e uma nevasca intempestivamente pesada no próximo.

A corrida épica aproximou-se da temporada Red Bull Hard Enduro com Jarvis, que estava apontando para um quinto título do Roof of Africa, conquistando a World Series global.

Ele disse: "Com a equitação tão rápido, foi difícil pegar os líderes. Eles tiveram uma grande vantagem e foram melhores do que eu no assunto rápido aberto este ano.

"É sempre bom estar no pódio e com vitórias consistentes este ano encerrando 2017 como o campeão geral é a cereja no topo do bolo".

Sandra Gomez também entrou nos livros de registro trazendo seu Husqvarna para casa no 30º lugar para se tornar o melhor acabou feminino na história da corrida.

Resultados - 2017 Roof of Africa

1. Wade Young (Sherco) 10:41:28
2. Travis Teasdale (KTM) 10:52:34
3. Graham Jarvis (Husqvarna) 11:04:06
4. Blake Gutzeit (Yamaha) 11:06:36
5. Alfredo Gomez (KTM) 11:13:15

Colaboração e foto: Red Bull/Andreas Lettenbichler

O jovem piloto brasileiro Eric Granado, conquista título inedito em sua carreira e para o motociclismo nacional em solo Europeu. E tudo aconteceu na manhã deste domingo, 19 de novembro, onde Granado levou Campeonato Europeu de Motovelocidade, categoria Moto2. 

Com o título inédito para o Brasil, o paulista de 21 anos coloca seu nome entre os grandes do esporte sobre duas rodas. Com a bandeira brasileira, sambou antes de receber o troféu de primeiro colocado  da prova no pódio. Com a mão direita no peito, chorou ao ouvir o hino nacional.

Na última etapa da competição, no circuito de Valência (Espanha), Granado fez corrida cautelosa, já que precisava apenas de um sexto lugar para ser campeão. Entrou na prova como líder, 16 pontos à frente do espanhol Ricky Cardús, segundo colocado na classificação geral. O brasileiro venceu a etapa final e Cardús abandonou a prova faltando quatro voltas. Com isso, Granado foi campeão ainda na pista.

“Foi um fim de semana perfeito. No sábado fiz a pole. Na corrida larguei mal, perdi algumas posições, e fiquei no meio da confusão. Mas mantive a calma e consegui fazer uma boa prova para vencer. Estou muito feliz em levar esse título inédito para o Brasil”, avaliou Granado após a corrida.

Durante as sete etapas da temporada, que teve 11 baterias no total, ele venceu seis, foi segundo colocado em duas, uma vez terceiro, uma chegou em quinto e outra em sétimo.

Classificação final do Campeonato Europeu de Motovelocidade

1º Eric Granado (BRA) – 226 pontos

2º Ricky Cardús (SPA) – 185 pontos

3º Steven Odendaal (RSA) – 157 pontos

4º Hector Garzó (SPA) – 126 pontos

5º Joe Roberts (USA) – 111 pontos

Resultado etapa de Valência

1º Eric Granado (BRA)

2º Steven Odendaal (RSA)

3º Joe Roberts (USA)

4º Hector Garzó (SPA)

5º Frederico Fuligni (ITA)

Por Leo "Corrosivo" direto da redação com colaboração da Honda Racing/ Vipcomm Assessoria de Imprensa 

Pelo que parece a Yamaha não vai perder tempo e promete grandes investimentos no off road nacional em 2018. Um dos primeiros passos da marca dos Diapasões foi o investimento no setor do fora de estrada começando com a nova parceria com o Grupo Orange/O2BH Yamaha de Belo Horizonte.

A primeira boa notícia foi de Jeomar Grecoo que trocou a cor laranja pela azul da Yamaha a bordo da novíssima WR 250F e a renovação com Fábio Amaral de TTR 230cc que vão correr na modalidade do Enduro de Regularidade. E tudo indica que tem mais novidades vindo por ai.

Tanto que na 15º Edição do Salão Duas Rodas foram anunciadas novidades também para o off road, como a chegada da nova YZ450F 2018 , a XTZ 150 Crosser Z e a XTZ 150 Crosser S. 

A icônica motocicleta de motocross, conhecida pelas dezenas de vitórias e títulos mundo a fora chega para incrementar a linha off-road da Yamaha. Nesta nova geração, as novidades são muitas, a começar pelo novo motor, agora mais potente, leve e com partida elétrica. Nele o sistema de arrefecimento também é novo, garantindo ainda mais eficiência – fundamental na prática do motocross.

Por falar em eficiência, a ciclística da YZ450F que já era boa, ficou melhor com o novo chassi em alumínio e a nova suspensão traseira. A YZ450F também impressiona pela tecnologia. Ela é a primeira motocicleta que pode receber ajustes no gerenciamento do motor – que permite alterar a forma como a potência e torque são entregues – através de um aplicativo para smartphones via wi-fi, o Yamaha Power Tuner.

Resultado de imagem para XTZ 150 Crosser s 2018

Já a XTZ 150 Crosser Z. Além dos conhecidos atributos da Crosser – que agora passa a se chamar Crosser S –, como economia, durabilidade e conforto, a nova versão da trail que vem conquistando cada vez mais o consumidor brasileiro, está mais aventureira e melhor adaptada a incursões no off-road, principalmente em terrenos ruins e com lama. Nela, o para-lama dianteiro é alto, fixado junto a mesa inferior. 

Além disso, a nova versão da Crosser é equipada com protetores de bengala e guarda-pó nos cilindros dos amortecedores dianteiros, protegendo-os de terra e água, comuns no fora de estrada.

As cores e grafismos da XTZ 150 Crosser Z são exclusivos, combinando perfeitamente com o seu caráter aventureiro.

Vamos aguardar as novidades da marca que promete levantar a poeira em 2018!

Por Leo "Corrosivo" direto do Salão Duas Rodas 2018.

O piloto multi campeão capixaba Bruno Crivilin acaba de renovar mais um ano com o Grupo Orange/KTM e promete encarar novos desafios em 2018. Piloto oficial da Red Bull e KTM tem o entra em seu quarto ano e agora como atleta Orange/BH nas competições.

“As coisas tem acontecido muito rápido na minha carreira, mas as minhas principais conquistas vieram como piloto da Equipe Orange BH KTM Racing. Foi correndo pela equipe que consegui os dois títulos brasileiros, o título do Romaniacs e a Medalha de Ouro no Six Days. Tem sido uma parceria muito vitoriosa. Esse ano estarei defendendo a Orange BH KTM sozinho, será diferente dos outros anos onde éramos uma equipe, mas os planos são ambiciosos e estou bastante animado para 2018. Além do Brasileiro de Enduro estamos planejando algumas novidades também lá fora, me sinto preparado para os novos desafios que estão por vir. Apesar de ser o quarto ano, sinto como se fosse o primeiro, não vejo a hora de começar a nova temporada!”, comemorou Bruno Crivilin.

"Estamos muito felizes com a renovação e o Bruno também" comentou Carlos Augusto Constantino - Diretor de Competição do Grupo Orange.

"Já são 4 anos de trabalho com a Orange BH/KTM. E agora ele terá todo o holofotes virado para ele como atleta Orange BH e não mais como equipe e com isto estamos acertando os detalhes para ele correr pela primeira vez Erzberg Rodeo, Mundial de Enduro, algumas etapas do Mundial de Hard Enduro e o Brasileiro de Enduro" comentou Constantino ao site CorrosivoFilmes/Garage.

Agora é aguardar este fera das duas rodas acelerar forte pelo mundo representando o nosso Brasil.

Por Leo "Corrosivo" direto da redação com foto Carlos Franzen (Toninho)

E ai, bora encarar a última etapa do Brasileiro de Hard Enduro? E que tal aumentar o desafio correndo a noite? Está é a proposta da organização do  Night Track Hard Enduro que receberá os melhores pilotos entre os dias 9 e10/12/2017 a cidade de Morungaba/SP. No Night Track os pilotos serão desafiados a todo momento, levando a relação entre homem; máquina e natureza ao limite.

A prova promete ser a mais difícil de todas, com o intuito de preparar os pilotos das categorias Nacional, Bronze e Silver que pretendem subir de categoria na próxima temporada. Segundo o organizador, Vincenzo Barbagallo, as categorias Nacional e Bronze vão apresentar uma dificuldade com nível de Silver, e a Silver vai ser tão exigente quanto a Gold. Já em relação a Gold, os organizadores garantem que os pilotos serão levados ao extremo limite.

No sábado os pilotos vão enfrentar o desafio Night Track, que será um cross country noturno com obstáculos, onde serão dadas três voltas por categoria. A organização informa que os pilotos vão precisar de muita habilidade para transpor o tão esperado "corredor da morte", que se trata de uma série de obstáculos artificiais desenvolvidos pelos organizadores.

Já no domingo, a prova terá início às 8:00 da manhã e o percurso terá aproximadamente 20km de puro HARD ENDURO.

Vincenzo informa que a ideia inicial era realizar o percurso do domingo no sábado de noite, mas devido a complexidade dos desafios, a maioria dos pilotos não conseguiria completar o percurso sem a luz do dia. Portanto,  para promover a diversão, optamos por deixar o grande desafio para o final. Mas vale lembrar que o desafio noturno não será nada fácil.

Logo após o término do segundo dia de prova, acontecerá a festa de premiação do Campeonato Brasileiro de Hard Enduro. Confraternização onde os pilotos finalmente vão relaxar e curtir.

E ai, vai encarar o desafio?

Colaboração e foto: Agencia Calango

A média diária de emplacamentos ficou em 3.249 unidades, volume 1,8% inferior ao registrado em setembro; contudo, na comparação com outubro do ano passado houve alta de 3,9%

Dados da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, mostram que foram produzidas 77.076 motocicletas em outubro, o que representa estabilidade com relação às 76.668 unidades fabricadas em setembro. Contudo, na comparação com outubro de 2016 (71.520) houve alta de 7,8%. Já no acumulado dos dez meses deste ano foram fabricadas 729.268 unidades, o que demonstra recuo de 7% na comparação com igual período do ano passado (784.519). “A estabilidade no volume de produção confirma a tendência para a melhora do desempenho da indústria a partir do próximo ano”, diz Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo. 

 Em outubro, o desempenho de vendas no atacado – para as concessionárias – foi superior a setembro, com 69.620 motos repassadas às lojas, o que representa alta de 9,8% sobre as 63.428 unidades comercializadas no mês anterior. Ainda de acordo com Fermanian, “a recuperação das vendas no atacado em outubro vai contribuir para refletir o aumento no varejo, pois em geral os estoques nas concessionárias se encontram bem controlados e em relação a alguns modelos estão abaixo do ideal”. Na comparação com o mesmo mês de 2016, o aumento foi de 17% (59.480). No acumulado do ano, a redução foi de 9,4%, com 672.971 em 2017 ante 742.933 no ano passado.

Já o desempenho das exportações caiu em outubro, quando foram enviadas a outros países 7.761 motocicletas, recuo de 30,8% sobre as 11.208 unidades embarcadas no mês anterior. No entanto, na comparação com outubro de 2016 houve aumento de 58% (4.911). Nos dez meses do ano o volume total de exportações foi de 67.005, alta de 37,7% sobre 48.663 unidades referentes a igual período de 2016. O principal destino das motocicletas exportadas ainda é a Argentina.

Emplacamentos

Com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, as vendas para o varejo totalizaram 68.236 unidades em outubro, alta de 3,1% sobre as 66.209 motocicletas emplacadas em setembro. Na comparação com outubro do ano passado* (62.554 unidades) foi verificado aumento de 9,1%. Mas nos dez meses do ano de 2017 houve redução de 5,5%: 708.299 licenciamentos em 2017 e 749.834 no ano passado.

A média diária de vendas em outubro ficou em 3.249 unidades, redução de 1,8% na comparação com as 3.310 motos licenciadas em setembro. Contudo, na comparação com outubro do ano passado (3.128) ocorreu um salto de 3,9%.

(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

Colaboração: Abraciclo / Associados