Bárbara Neves, da equipe Honda Racing, subiu no pódio do Enduro Internacional Feminino em terceiro lugar, neste domingo (20/10), na cidade de Lousada, em Portugal. A prova reuniu mais de 40 mulheres e foi marcada por alto nível técnico - tanto das atletas quanto do roteiro, com chão liso, pedra e deslocamentos exigentes. 

Bicampeã brasileira e latino-americana da modalidade, a piloto goiana competiu com a motocicleta Honda CRF 250RX. O desafio foi formado por três voltas em um circuito de 31 quilômetros, o qual incluiu duas especiais (trechos cronometrados): um Enduro Teste e um Cross Teste. “Foi uma experiência incrível, com um resultado muito importante. A prova foi duríssima, tive que superar muitas dificuldades para seguir firme no objetivo de chegar até o pódio”, conta.

Bárbara liderava a prova na primeira volta, quando sofreu uma queda que a fez perder tempo considerável. Mesmo assim, focou em uma prova de recuperação e alcançou o terceiro lugar da classificação geral e da Pro, categoria de elite que a brasileira de 19 anos era a mais jovem. A vencedora do Enduro Internacional Feminino foi Rita Vieira, seguida por Bruna Antunes, ambas de Portugal.

“Choveu bastante durante a semana, o que dificultou ainda mais o percurso por causa do barro e do piso escorregadio. Os deslocamentos eram difíceis e com controles de horário bastante justos, então foi preciso acelerar como se fosse em uma especial. Eu sofri a queda no Enduro Teste, em uma reta muito rápida, com capim alto, havia uma pedra escondida que bateu na roda da frente da moto. Foi um susto, mas consegui continuar e buscar o resultado”, relata a piloto.

Essa foi a segunda vez que Bárbara participou do desafio em solo português. Em 2016, ela também alcançou o terceiro posto. “Senti uma evolução muito grande das meninas, com relação a 2016, e espero continuar evoluindo também para buscar um resultado ainda melhor no ano que vem”, encerra Bárbara, a primeira mulher a integrar o time oficial na história da Honda Racing Brasil.

A equipe Honda Racing de Enduro FIM é patrocinada por Pro Honda, ASW, Alpinestars, DID e Seguros Honda. 

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração da Honda Brasil e fotos de Mundo Press.

O público foi ao delírio durante o prólogo do Sábado, no estádio Ronaldão, enquanto que no domingo, uma sequência de trilhas contornaram a cidade de Poços de Caldas MG.

A cidade de Poços de Caldas - MG sediou, nos últimos dias 19 e 20 de outubro, o encerramento do HEBS Rinaldi 2019. O sábado, 19, teve disputas eletrizantes em um prólogo montado dentro do Estádio Municipal Doutor Ronaldo Junqueira. No domingo, 20, a competição partiu para as trilhas ao entorno da cidade, chegando até o limites do município de Águas da Prata - SP.

Prólogo 

O Estádio Municipal Doutor Ronaldo Junqueira foi testemunha de grandes disputas e arquibancadas cheias durante o prólogo, montado entre o alambrado e a arquibancada. Depois dos treinos no período da manhã e tomadas de tempo na primeira parte da tarde, os 16 pilotos com melhores tempos na categoria Gold e os 8 melhores tempos das outras categorias, entraram na pista para para disputas de tirar o fôlego.

Em um formato parecido com a etapa de Morungaba - SP, dois pilotos disputaram, lado a lado, cada obstáculo. Entre uma disputa e outra, muitas foram definidas apenas no último obstáculo e houve até, para o delírio do público, pilotos com motos nacionais de baixa cilindrada vencendo adversários com motos importadas.

Outro ponto alto do dia, ficou por conta das disputas entre Rigor Rico, da equipe Beta Brasil Team Rinaldi e Crispy Arriegada, da equipe Orange BH. O argentino, que é piloto de Enduro FIM, chegou a liderar, mas viu Rigor assumir a ponta na primeira volta em um total de 4. O mineiro chegou a abrir alguns segundos, mas no final o argentino encostou e deixou a disputa eletrizante até o fim.

"Foram duas disputas, uma com Tiaguinho e outra com o Crispy. O Tiaguinho saiu na minha frente e no final da reta tentei dar o "X" nele e não consegui, mas logo depois eu cortei ele e minha linha estava muito boa na sequência de troncos. Então foi concentrar para não errar. A final foi bem legal. Foram quatro voltas e eu já tinha corrido contra o Crispy. Ele era mais rápido nas curvas e eu era mais rápido nos obstáculos. Ele largou na frente, mas eu mantive a calma e no matrix eu consegui ultrapassar ele. Depois tentei abrir uma vantagem no começo e na última volta foi só concentrar para não errar." finalizou Rigor.

Outra disputa que levantou o público foi entre o gaúcho Tiago Mergener e Ripi Galileu, da equipe Beta Brasil Team Rinaldi. Tiaguinho levou a melhor e apresentou um estilo agressivo ao passar os obstáculos.

"O prólogo surpreendeu mais uma vez e levantou o público. Além disso, foi muito competitivo. Fiquei muito contente em finalizar na terceira posição. Estou treinando cada vez mais para melhorar minha técnica no prólogo." conta Tiago Mergener.
Trilhas Infinitas 

Os organizadores do King OFF the Jungle 2019 prepararam para o domingo, dia 20, uma sequência de trilhas ao entorno de toda a cidade. Os pilotos da Gold andaram cerca de 90 quilômetros no topo de uma cadeia de montanhas, que na realidade são a borda de um vulcão inativo a milhares de anos. 

"King foi top. Trilhas sem fim. O roteiro foi show! Na minha opinião, o melhor de todos que já fiz até agora." enfatizou Rodrigo Zuccon, piloto e organizador do Hard in Help.

Rigor Rico já tinha garantido o título com uma etapa de antecedência, mas isso não deixou as disputas menos quentes. Novamente, mas desta vez nas trilhas, o piloto argentino, Crispy Arriegada, apresentou uma excelente performance diante da dificuldades. Não fosse um erro de navegação, certamente teria finalizado em uma boa colocação. 

"Na primeira parte eu abri uma vantagem de uns 6 minutos, que me deram uma tranquilidade. Depois as ultimas duas partes, eram trilhas mais rápidas e eu tive um problema com a pedaleira da moto, que me atrapalhou um pouco." comenta Rigor sobre a prova.

O Argentino Crispy Arriegada, da equipe Orange BH, mostrou-se um adversário duro e com possibilidades de brigar pelo título do HEBS 2020.  

"Logo no final do deslocamento o Crispy me alcançou e estranhei um pouco. Como era zona de radar, já imaginei que ele tinha estourado o limite. Ele me cortou em um trecho de alta e fez muita poeira, como eu sabia que ainda tinha uma vantagem, tentei manter a diferença. No final cheguei uns 15 segundos atrás e infelizmente com algumas penalizações, o Crispy ficou com resultado prejudicado." concluiu Rigor Rico, primeiro campeão do HEBS.

Para a maioria dos pilotos a prova teve o nível de dificuldade adequado. No entanto, alguns pilotos sentiram o peso da prova, mas atribuem a uma escolha errada de categoria.

"Fui bem e me diverti bastante no começo, mas fui minando fisicamente. Em uma parte da prova minha moto enroscou a corrente e depois ficou sem partida. Resolvi desistir, mas concordo que deveria ir na Iron. Certamente teria me divertido ainda mais." frisou Adeilton Santos, da equipe Tranqueiras Racing. 

O vice campeonato estava em aberto. Apesar de Tiago Mergener ter vantagem, Thiago Lume e Ripi Galileu também tinham chances de garantir o segundo lugar. No entanto, Tiaguinho concluiu em segundo, ficando assim com o vice campeonato, na principal categoria.

"A corrida foi um pouco diferente do que estou acostumado. Foram trilhas bem andadas, como um enduro fim. Tinham muitos trechos de alta e eu só treinei no travado, porque as etapas do HEBS foram sempre mais travadas. Vi que terei que treinar mais a velocidade. No entanto, foi uma das etapas mais bem organizadas e com trilhas maravilhosas. Fiquei muito feliz em fechar com o vice campeonato. Estou ansioso para o ano que vem." concluiu Tiago Mergener. 

Com a proposta de fazer um Hard Enduro Rally, o King 2019 teve novos desafios, tanto para organizadores, como para pilotos. Portanto, tudo foi muito bem planejado e ao final poucos foram os erros. Ao todo, foram 90 km de trilhas para categoria Gold e Silver, 68 km Bronze e Nacional e 60 km para Iron. A etapa também fechou com um recorde de 102 inscritos em todas as categorias.

Big Hard

A estreia da categoria Big Trail foi um sucesso na opinião dos participantes. A opção de acompanhar a prova acessando lugares que só são possíveis de moto e ainda passando por lindas paisagens, animaram a todos.

"Foi um "Big" domingo com as Big Trails. Fizemos um passeio com vários graus de dificuldade e bem adaptados para nossas motos. Os guias foram fantásticos e os pilotos participantes, tornaram-se novos amigos. Desfrutamos de lindas paisagens e de muitas emoções." contou Alexandre Campos, de Campinas. E ainda concluiu: "Quando é o próximo?"

O HEBS Rinaldi tem patrocínio de Rinaldi Pneus, BMS Racing, Jarva Racing, 3R Motos e Bikes, Agência Calango, Moto Arts,  JDR e Putoline. Apoio, Prefeitura de Poços de Caldas.

Classificação após a 6ª Etapa

Gold

    Rigor Rico

    Tiago Mergener

    Ripi Galileu 

Silver

    Marco Tulio 

    Luis Brunatto 

    Willians Kauffman

Bronze

    Eduardo Furtado

    Lucas Torres

    Fábio de Pontes

Nacional 

    Rodrigo Lima

    Eduardo Mourão

    Diego Dias

Iron 

    Carlos Alberto

    Douglas Braz

    Evandro Souza

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração e fotos de The X Rider.

Piloto Pro Tork confirmou o favoritismo ao vencer a grande final, realizada no domingo, 20 de outubro, em Guaraniaçu, durante o XXVII Enduro das Pedras
Emerson “Bombadinho” Loth confirmou o favoritismo na disputa pelo título da categoria principal, a Master, do Campeonato Paranaense de Enduro de Regularidade 2019. O piloto Pro Tork venceu a grande final da temporada, realizada neste domingo, 20 de outubro, em Guaraniaçu, tornando-se octampeão estadual.

A prova contou com 120 quilômetros de trilhas, passando por diversas áreas de reflorestamento, aclives e pedras. Nada que Bomba não tirasse de letra. “Concluí com muita tranquilidade, pois já havia aberto uma boa vantagem na classificação. Estou orgulhoso com a conquista e grato a todos que me apoiaram”, disse.

Os vencedores das demais classes do XXVII Enduro das Pedras foram: Anderson Muller – Sênior, Roberto Tonon Júnior – Over 40, Vitor Magarise – Over 50, Bruno Tortelli Muller – Junior, Anderson Leandro Werner – Novato e João Henrique Sunti e Fernando Schreiner na Dupla.

Já os campeões estaduais, além de Bomba, foram: Anderson Muller – Sênior, Claudio Hiert – Over 40, Luiz Felipe – Over 50, Gedeon Ricardo Zilli – Júnior e Eduardo Antonio Fronza – Novato.

Para o diretor da modalidade da Federação Paranaense de Motociclismo, Valdeci Martines, a temporada 2019 foi um enorme sucesso. “Contamos com excelentes provas e boa participação dos atletas, agradecemos a todos que participaram. Agora, daremos início ao planejamento para o ano que vem”, destacou.

Classificação final do estadual, com descartes:

Master

1) Emerson ‘Bombadinho’ Loth - 500 pontos
2) Jony Jachtchechen - 468 pontos
3) Eduardo Vinícius Hiert - 460 pontos
4) Tiago Kudlavies - 345 pontos
5) Alessandro Costa - 315 pontos

Senior

1) Anderson Muller - 464 pontos
2) Pericles Dutra - 460 pontos
3) Julio Cesar Moro Moreira - 392 pontos
4) Alexei Morastoni - 385 pontos
5) Rafael Andre Wahl - 315 pontos

Over 40

1) Claudio Hiert - 485 pontos
2) Marcio Chaves Souza - 444 pontos
3) Marcio Gaideski - 378 pontos
4) Dagomar Slongo - 222 pontos
5) Joir de Oliveira Borges - 186 pontos

Over 50

1) Luiz Felipe Felipsen - 485 pontos
2) Marcos Szymiwski - 469 pontos
3) Rosni Ferreira - 370 pontos
4) Dagomar Luiz Slongo - 241 pontos
5) Nereu Paludo - 156 pontos

Júnior

1) Gedeon Ricardo Zilli - 448 pontos
2) Bruno Gotardo Muller - 422 pontos
3) Vitor Delfrate Neto - 167 pontos
4) Reinder Neto - 100 pontos
5) Willian Dona - 94 pontos

Novato

1) Eduardo Antônio Fronza - 425 pontos
2) Sandra Vasconcelos - 100 pontos
3) Wagner Henrique Rosa - 100 pontos
4) Robson Ramos Costa - 97 pontos
5) Rodrigo Carloto - 25 pontos

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração de Daniela Bergunovo e foto de Angelo Savastano

Etapa de Poços de Caldas está em sua 4ª edição e vem cheia de novidades para pilotos e público.

Nos dias 19 e 20 de outubro, a cidade de Poços de Caldas, celebra os campeões do HEBS Rinaldi 2019. Esse ano, a tradicional prova de hard enduro, King OFF the Jungle, vem cheia de novidades e promete um show para público e pilotos com um prólogo dentro do estádio Ronaldão, novas categorias e trilhas inéditas. 

Estádio de Futebol será palco do prólogo   

O Estádio Doutor Ronaldo Junqueira, conhecido como Ronaldão, será testemunha de uma substituição inédita: No dia 19, o futebol dará lugar para o Hard Enduro em um evento que terá estrutura uma estrutura completa com food trucks, estacionamento e banheiros estarão prontos para atender público e pilotos.

"Para os nossos patrocinadores, é importante que tenhamos mais público. A escolha do Ronaldão foi em virtude da experiência do ano passado, onde que com a chuva, nós não oferecemos conforto para todos que participaram. Portanto, em um estádio de futebol nós temos uma infraestrutura muito grande. Desta forma, o evento terá conforto para os espectadores e pilotos, além da segurança e facilidade de acesso!" conclui Fábio Cascudo, organizador do King OFF the Jungle.

 A pista estará liberada das 8:00 às 12:00, enquanto as qualificatórias e finais do prólogo acontecem das 14:00 às 18:00.

Seguindo o sucesso da etapa de Morungaba, os organizadores do King resolveram repetir o modelo de prova e, mais uma vez, as disputas serão lado a lado. Um verdadeiro "racha" entre os melhores pilotos do país.

Outra grande novidade desta etapa, será a inclusão da categoria Big Trail. Seguindo os moldes da Categoria turismo, os pilotos inscritos serão guiados pelas trilhas da região, acompanhando de perto as disputas dos demais pilotos e desfrutando do lindo visual da região. No entanto, no sábado, os pilotos que quiserem, poderão se desafiar em alguns obstáculos construídos exclusivamente para as Big Trails.

Trilhas novas e visual inesquecível 

No domingo, os pilotos largam às 7:00 com destino a Aguas da Prata - SP. Para as categorias gold e silver, serão cerca de 90 km de trilhas, por isso a etapa deste ano já é considerada um Hard Enduro Rally.

A maior parte das trilhas foram abertas exclusivamente para a prova. Contudo, como são muitos quilômetros, o track manager Richard deixou as trilhas mais fáceis e durante o trajeto os pilotos vão contar com apoio da organização para reabastecimento e hidratação.

"As trilhas foram divididas em 2 partes, a primeira parte começa na região onde, nos últimos anos, foram as trilhas do King OFF the jungle, com bastante raiz e terra fofa, seguindo para trilhas inéditas em direção a divisa do estado. A primeira parte será a mais hard, com início de trilhas em mata, passando em vegetação mais baixa com pedras. O neutro principal chega por volta de 35 km onde todos os pilotos vão poder abastecer e descansar por 30min." conclui Richard Lima.

A bela paisagem da região também foi colocada no planejamento na hora de desenhar o trajeto.

"Todos os anos que organizamos o King, tínhamos aquela vontade de mostrar mais a região montanhosa de Poços de Caldas. Temos muitas trilhas com diferentes características, mas era difícil de achar um modo de entregar isso aos participantes do Hard Enduro. Esse ano decidimos encarar esse desafio! Foram meses de levantamento e testes." comenta Richard.

Para as outras categorias a quilometragem já diminui. Serão 68km para a Bronze e 60 km para a Iron. A categoria turismo vai usar mesma trilha da Iron, enquanto que a cat. Big Trail, vai andar por trilhas exclusivas e com nível de dificuldade baixíssimos. Para os organizadores, o objetivo é realizar uma prova adequada para cada categoria.

"A segunda parte foi estendida para a gold e silver onde vão enfrentar a recém criada trilha da crista, em uma montanha incrível com uma descida muito íngreme. A silver irá cortar a segunda etapa dessa trilha. Após isso será uma sequência de 20 km de trilhas, de média dificuldade para o Hard, onde o preparo dos pilotos serão testados." finaliza Richard Lima.

O HEBS Rinaldi tem patrocínio de Rinaldi Pneus, BMS Racing, Jarva Racing, 3R Motos e Bikes, Agência Calango, Moto Arts,  JDR e Putoline.

Classificação após a 4ª Etapa

GOLD 

    Rigor Rico – 122 pts

    Tiago Mergener – 85 pts 

    Tiago Lume – 76 pts

    Ripi Galileu – 75 pts

    Rogério Zortéa – 57 pts

SILVER

    Marco Túlio Faria – 97 pts

    Luis Felipe Brunatto – 76 pts

    Willians Kauffman – 63 pts

    Gustavo Pinheiro Abijaude – 57 pts

    Allan Silva – 36 pts

BRONZE

    Eduardo Furtado– 122 pts

    Lucas Torres – 62 pts

    Fabio De Pontes – 61 pts

    Kaio Pochnow– 55 pts

    José Roberto Santos– 30 pts 

Nacional

    Rodrigo Lima – 94 pts

    Eduardo Mourão – 90 pts

    Maurício Gomes – 36 pts

    Diego Dias – 25 pts

    Pedro Brito – 25 pts

IRON

    Cesar de Oliveira Camargo – 47 pts

    Evandro Paiva - 25 pts

    Roger Costa – 25 pts

    Carlos Souza – 25 pts

    Douglas Bras – 22 pts

FEMININA

    Grasiela Theves – 25 pts

    Isa Oliveira – 25 pts

    Líbera Costa Beber – 22 pts

    Bárbara Neves – 22 pts

    Regina Formagio – 20 pts

Serviço: Hard Enduro Brasil Séries

Etapa 6 - King OFF The Jungle

Cidade: Poços de Caldas - MG

Data: 19 e 20 de outubro

Entrada: Gratuita

SÁBADO

Local: Estádio municipal Ronaldão 

8:00 :12:00 inscrições 

9:00 as 12:00 - Treinos livre no prólogo.

14:00 as 18:00 - Qualificatórias e finais do prólogo.

Briefing às 20:00 hs 

DOMINGO

A partir das 7:00 largada para trilhas

Chegada prevista para às 13:00 

Premiação às 15:00 (previsão). 

*A organização pode alterar esse programa caso necessite.

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração e foto de Gustavo Narciso.

Expectativas a mil para as 13ª e 14ª etapas do Campeonato Paranaense de Enduro de Regularidade, válidas como final da temporada. A prova acontece neste domingo, dia 20 de outubro, com um percurso de mais de 120 quilômetros de trilhas na região de Guaraniaçu, no Oeste do estado, durante o XXVII Enduro das Pedras.

A disputa deve reunir cerca de 80 atletas, que buscam o título em seis categorias. Na principal, a Master, Emerson ‘Bombadinho’ Loth está com uma mão na taça. “Para ser campeão só preciso pontuar, completar o circuito independente da colocação. Então vou manter a calma para me firmar como um dos maiores vencedores do estadual”, destaca o heptacampeão.

Os demais ponteiros na tabela são os pilotos: Péricles Dutra na Sênior; Cláudio Hiert pela Over 40; Luiz Felipe Felipsen entre os experientes da Over 50; e Gedeon Ricardo Zilli na Júnior. Fecha o grupo Eduardo Antônio Fronza, que já garantiu o título antecipado na Novatos.

Todos os participantes podem esperar por uma prova segura, limpa, sem enroscos. As trilhas passam por diversas áreas de reflorestamento, aclives e, claro, como sugere o nome do evento, não economizam na presença de pedras. Ao final do dia serão completados 123 quilômetros de percurso.

O Posto Petrobrás, bem no centro da cidade de 15 mil habitantes, foi o ponto escolhido para receber a concentração. A largada do primeiro competidor está prevista para as 8h30 e a chegada para as 13h35. O almoço e premiação ocorrem na Sociedade Esportiva Recreativa Atlântico Club.

As inscrições seguem abertas no site da Federação Paranaense de Motociclismo. Interessados podem garantir a sua participação através do link https://fprm.com.br/evento/7-etapa-do-campeonato-paranaense-de-enduro-de.... O investimento é de R$ 150 por atleta, independente da categoria.

Classificação

Master

1) Emerson ‘Bombadinho’ Loth - 447 pontos
2) Eduardo Vinícius Hiert - 403 pontos
3) Tiago Kudlavies - 376 pontos
4) Jony Stachechen - 374 pontos
5) Alessandro Costa - 315 pontos

Senior

1) Pericles Dutra - 402 pontos
2) Anderson Muller - 390 pontos
3) Julio Cesar Moro Moreira - 342 pontos
4) Alexei Morastoni - 300 pontos
5) Clecio Flavio Hiert - 219 pontos

Over 40

1) Claudio Hiert - 432 pontos
2) Marcio Gaideski - 393 pontos
3) Marcio Chaves Souza - 355 pontos
4) Dagomar Slongo - 222 pontos
5) Joir de Oliveira Borges - 131 pontos

Over 50

1) Luiz Felipe Felipsen - 388 pontos
2) Marcos Szymiwski - 388 pontos
3) Rosni Ferreira - 370 pontos
4) Dagomar Luiz Slongo - 241 pontos
5) Nereu Paludo - 86 pontos

Júnior

1) Gedeon Ricardo Zilli - 386 pontos
2) Bruno Gotardo Muller - 362 pontos
3) Vitor Delfrate Neto - 196 pontos
4) Reinder Neto - 144 pontos
5) Willian Dona - 136 pontos

Novato

1) Eduardo Antônio Fronza - 367 pontos
2) Sandra Vasconcelos - 142 pontos
3) Robson Ramos Costa - 139 pontos
4) Wagner Henrique Rosa - 132 pontos
5) Rodrigo Carloto - 75 pontos

Serviço: Campeonato Paranaense de Enduro de Regularidade

Etapas: 13ª e 14ª
Data: 20 de outubro
Local: Posto Petrobrás - Guaraniaçu
Inscrições: https://fprm.com.br/evento/7-etapa-do-campeonato-paranaense-de-enduro-de...
Entrada: Gratuita

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração de Daniela Bergunovo.

A sexta e penúltima etapa do Campeonato Pro Tork Paranaense de Motocross acontece neste fim de semana, dias 19 e 20 de outubro, com um visual único. O evento ocorre em Itaipulândia, às margens do Lago de Itaipu. A expectativa é que mais de 200 pilotos do Brasil, Argentina e Paraguai participem das disputas.

Entre eles, Pepê Bueno, líder da categoria principal, a MX1. Convocado para representar o Brasil no Motocross das Nações, o atleta ficou de fora da última corrida e viu sua diferença para o segundo colocado cair de 32 para seis pontos. “Estou em ótima fase e quero terminar o ano com o título. Então, minha única alternativa é vencer”, destaca.

Nas demais classes os ponteiros são: Rafael Faria - MX2; Claudiney Guasti - MX5; Willian Guimarães - MX45, MX4 e MX3; Eduarda Conzatti - MXF; Matheus Zolet - Intermediária Especial e Light; Kleber Dutra - Intermediária Nacional; Fábio Brito - FLN; João Vargas - Júnior; Otávio Pedro - 150cc/85cc; Eduardo Volpato - 65cc; e Matheus Oliveira - Minimotos.

As corridas serão feitas na pista montada junto ao Terminal Turístico da Jacutinga. O traçado foi recentemente reformulado e promete ser um dos principais da temporada 2019, com 1250 metros de extensão e dez obstáculos, tudo isso a apenas 50 metros de distância do Lago de Itaipu.

Pilotos estão atentos à programação. Ela inicia no sábado, às 9h, com os treinos livres, enquanto que no domingo é retomada às 8h, com o warm up. Na sequência acontecem as primeiras baterias. A grade está sujeita a alterações.

O público terá entrada gratuita. Além de curtir a adrenalina das disputas, os visitantes poderão aproveitar a estrutura do local e estabelecimentos no entorno, incluindo balneário, quadras de beach soccer, quiosques, pousadas e parque aquático. Mais de 10 mil espectadores são aguardados pela organização.

Benefícios conquistados pela FPRM para seus filiados

A Federação Paranaense de Motociclismo firmou várias parcerias com o objetivo de fomentar o esporte e facilitar a participação de atletas, principalmente amadores, nas competições estaduais. A Pro Tork, parceira da entidade há 20 anos, garante inscrição gratuita para quem utilizar o equipamento completo da marca. Além disso, a Pirelli reduziu o valor dos pneus para os pilotos federados. Eles podem ser adquiridos na Janela Motos e Gordinho Motos, em Curitiba.

Serviço: Campeonato Pro Tork Paranaense de Motocross

Etapa: 6
Data: 19 e 20 de outubro
Local: Terminal Turístico da Jacutinga - Itaipulândia
Inscrição: R$ 100 antecipada através do link https://fprm.com.br/inscricao/13822 / R$ 150 no local
Entrada: gratuita

O Campeonato Pro Tork Paranaense de Motocross 2019 tem o patrocínio da Pro Tork – a maior fábrica de motopeças da América Latina e líder mundial na produção de capacetes, além do apoio da Pirelli Pneus, Mobil, Acipar, Winn’s, Mundifer e 5inco Gráficos.

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração de Daniela Bergunovo e foto de Rodrigo Jr.

A pacata cidade de Sabará, na grande BH já está pronta para receber a abertura da Copa Estreante By Moto de Enduro de Regularidade. Uma competição voltada para promover e incentivar o surgimento de novos talentos na modalidade.

Confira como é fácil participar:

Categoria Estreante: Para pilotos que nunca navegaram, mais que gostaria de participar de uma prova de regularidade.

Categoria Novato: Para pilotos que já participou de uma competição de regularidade alguma vez na carreira.

Categoria Força Livre: Para pilotos que já participou de diversas provas em qualquer categoria.

E aí, já fez sua inscrição? Se não, corre lá no site: http://fmemg.esp.br/ que ainda ´da tempo.

A 1ª Etapa conta com o patrocínio e apoio da By Moto BH Honda, Menta Motos, Motul ,MotoWorld, Bar do Marcinho, Edgers, Pró Moto Dinâmica, Ello Clube de Benefícios  e da Prefeitura Municipal de Sabará e conta com a Supervisão da FMEMG. 

Por Leo Tavares direto da redação.

Oferta de crédito e taxas de juros atrativas são os principais motivos para a alta demanda; a média diária de
vendas foi a maior para o mês desde 2015

Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo mostram que as indústrias instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) produziram 92.894 motocicletas em setembro. O volume é 15,1% superior a setembro de 2018 (80.687 unidades).

De janeiro a setembro saíram das linhas de produção 836.450 unidades, correspondendo a uma alta de 7,5% na comparação com o mesmo período do ano passado (777.779 unidades). Em relação a agosto, que contou com um dia útil a mais, houve recuo de 19% (114.738 unidades).

A oferta de crédito continua a ser o principal motivo para o crescimento. Segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, este cenário, aliado a taxas de juros mais atrativas, faz com que muitos consumidores troquem suas motocicletas por modelos 0 km. “O que se observa é a motocicleta sendo utilizada cada vez mais como alternativa para a mobilidade flexível, econômica e eficiente nas cidades brasileiras, além de possibilitar a geração de renda para seu condutor”, explica.

Na análise do executivo, o mercado ainda deve se manter aquecido nos próximos meses em função de fatores sazonais, como o pagamento do 13º salário e a chegada do verão, além do lançamento de novos modelos durante do Salão Duas Rodas, programado para o período de 19 a 24 de novembro, no São Paulo Expo, em São Paulo (SP). “O Salão é o principal evento do Setor de Duas Rodas e costuma receber mais de 200 mil visitantes, atraindo compradores entusiastas, que sempre aguardam pelas novidades e querem experimentar e adquirir uma motocicleta nova”, diz Fermanian. 

Pelas projeções atuais da Abraciclo, as fabricantes de motocicletas deverão produzir 1.100.000 unidades no presente ano, o que representa uma alta de 6,1% na comparação com o volume de 2018 (1.036.788 unidades).

VENDAS NO ATACADO

Em setembro as vendas de motocicletas no atacado – das fabricantes para as concessionárias – somaram 95.282 unidades, correspondendo a um avanço de 24,2% em relação ao mesmo mês do ano passado (76.695 unidades) e queda de 9% na comparação com agosto do presente ano (104.649 unidades).

No acumulado do ano foram vendidas 816.064 motocicletas no atacado, volume 14,7% superior ao mesmo período de 2018 (711.644 unidades).

EMPLACAMENTOS

Em setembro, 87.719 motocicletas foram licenciadas no País, representando uma alta de 18,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado (74.067 unidades), de acordo com a análise dos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) feita pela Abraciclo. Em comparação com agosto (88.625 unidades), houve queda de 1%.

Com 21 dias úteis em setembro, a média diária de vendas foi de 4.177 motocicletas. Esse foi o melhor desempenho para o mês desde 2015 (4.521 unidades/dia, que também teve 21 dias úteis). Na comparação com setembro de 2018 (3.898 unidades/dia, com 19 dias úteis), o crescimento foi de 7,2%. Na comparação com agosto do presente ano, a alta foi de 3,7% (4.028 unidades/dia, com 22 dias úteis).

Ainda segundo a análise dos dados do Renavam, de janeiro a setembro foram emplacadas 796.426 motocicletas no País, volume 14,4% maior ante as 695.928 unidades licenciadas no mesmo período do ano passado.

EXPORTAÇÕES

Em setembro foram exportadas 2.390 motocicletas, correspondendo a uma queda de 28,4% na comparação com o mesmo mês de 2018 (3.336 unidades) e de 33% em relação a agosto do presente ano (3.566 unidades). No acumulado de janeiro a setembro o volume exportado foi de 29.136 unidades, representando uma queda de 49% na comparação com o mesmo período de 2018 (57.131 unidades).

A Argentina foi o principal destino das motocicletas em setembro, segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os volumes de embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo. Foram embarcadas 1.942 unidades para aquele país, o que representa 58,6% do volume total  exportado. Na sequência, ficaram a Colômbia (602 unidades e 18,2% de participação) e os Estados Unidos (356 e 10,7%).

Nos nove meses do ano, a Argentina também foi o país que mais comprou motocicletas fabricadas no PIM. De janeiro a setembro foram embarcadas 14.274 unidades, o que representa 47,2% do volume total exportado. Em seguida, vieram os Estados Unidos (5.881 unidades e 19,5% de participação), seguidos pela Colômbia (4.021 unidades e 13,3%).

DESEMPENHO POR CATEGORIA NO ATACADO

A Street foi a categoria mais vendida em setembro, com 49.013 unidades e 51,4% de participação. Na sequência, vieram a Trail (19.005 e 19,9%), Motoneta (11.998 e 12,6%), Scooter (8.716 e 9,1%) e Naked (2.066 e 2,2%). 

Essas posições foram mantidas no acumulado de janeiro a setembro: Street (406.526 unidades e 49,8% de participação), Trail (163.153 unidades e 20%); Motoneta (121.941 unidades e 14,9%), Scooter (70.497 unidades e 8,6%); e Naked (18.895 unidades e 2,3%).  

Por Leo Tavares, direto da redação com a colaboração da Abraciclo.

Dono de 35 títulos nacionais e internacionais na carreira, o piloto Reinaldo Varela definiu a 20ª edição do Rally do Marrocos como uma das mais difíceis que já disputou. A prova, encerrada nesta quarta-feira (9) em uma região que mesclou dunas de alturas variadas e trechos dominados por rochas, valeu como última etapa da Copa do Mundo de Rally Cross-Country, competição que reúne os melhores pilotos e equipes internacionais em provas no estilo Dakar.

A bordo do Can-Am Maverick X3 da equipe Monster Energy, Varela e o navegador Gustavo Gugelmin empreenderam uma emocionante recuperação ao longo dos cinco dias de corrida e nesta quarta-feira consolidaram a vitória na categoria T3 (UTVs). A façanha lhes garantiu o tricampeonato mundial, em uma conquista inédita para o Brasil. Seus mais diretos rivais na briga pelo título, os russos Fedor Vorobyev/Kirill Shubin, precisavam vencer para manter as pretensões pelo campeonato, mas terminaram apenas em quinto na corrida. O primeiro lugar de hoje se soma às vitórias de Varela e Gugelmin obtidas no Qatar e Cazaquistão. Eles também obtiveram um segundo lugar nos Emirados Árabes.

“Se fosse fácil, não teria valor” – “Todo mundo apanhou muito nesse rally, que foi exigente demais. Os acidentes foram uma constante, por que tanto o roteiro quanto o trajeto foram radicais em termos de dificuldade. Mas se fosse fácil não teria o valor que tem”, disse Varela. “Foi um rally para sobreviventes e equipes extremamente entrosadas e eficientes. O Gustavo foi sensacional, perfeito na navegação do começo ao fim – e isso teve um peso enorme, fez muita diferença pra gente. E o desempenho do nosso carro também foi impecável, sempre muito equilibrado e com respostas potentes em todas os momentos que precisamos. Enfim, a equipe está de parabéns, foi tudo perfeito”, comemorou o piloto da Monster Energy/Can-Am.

“Incrível como tudo foi dando certo com o passar dos dias”, relata Gugelmin. “Logo no primeiro dia nós tomamos um susto pela falha de uma pecinha de conexão da ventoinha. Confesso que foi muito tenso, por que chegamos aqui para brigar pelo título e logo de cara aconteceu isso. Consertamos com a prova em andamento e chegamos em oitavo. Daí pra frente, fomos avançando e ganhando posições todos os dias, até consolidarmos hoje a vitória no Rally”, completa o navegador da equipe Monster Energy/Can-Am.

Gugelmin diz que o foco e a cautela que orientou a campanha da dupla no início da prova foi dando lugar a uma atitude mais ousada: “Chegamos aqui precisando somente de dois pontos para o título, mas a gente sentiu que podia buscar mais e não desperdiçamos, vencendo dois dos cinco dias de competição. O Reinaldo foi muito eficiente e veloz, realmente é um piloto de um nível incrível. Mais do que feliz, fico honrado por ter um parceiro como ele. Especialmente por que sei que ainda vamos conquistar muita coisa juntos”.

Novo foco é o Dakar – O Rally do Marrocos foi também um dos principais eventos-teste para o Rally Dakar, que será realizado de 5 a 17 de janeiro de 2020. Varela e Gugelmin disputarão essa prova, que venceram em 2018 também pela equipe Monster Energy/Can-Am. Eles usarão novamente o modelo Maverick X3, com o qual conquistaram o Dakar já na estreia do UTV da Can-Am. “Se esse foi um treino, foi dos bons”, define Varela. “Até o Dakar ainda há muito tempo e preparação. Mas será bom chegar lá como atuais campeões mundiais”.

Confira a classificação final do campeonato:

1) Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin, Can-Am Maverick X3 – 93 pontos

2) Fedor Vorobyev/Kirill Shubin (Rússia), Can-Am Maverick X3 – 55

3) Camelia Liparoti/Rosa Romero (Itália/Espanha), Can-Am Maverick X3 – 27

4) Casey Currie/Laurent Lichtleuchter (EUA), Can-Am Maverick X3 – 25

5) Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Rússia), Snag Proto – 25

 

Mais informações em:

www.facebook.com/varelarallyteam

Instagram: @varela_rally_team

Por Leo Tavares, direto da redação com a colaboração e foto de Rodolpho Siqueira.

A piloto Bárbara Neves, da equipe Honda Racing Brasil, faturou o título da categoria Pró no Campeonato Latino-Americano de Enduro Feminino 2019! Com a taça, a goiana de 19 anos comemora o segundo título latino-americano da carreira.

O primeiro foi conquistado no ano passado, na categoria Open Júnior (para atletas de até 21 anos). 
A lista de grandes feitos de Bárbara não para de crescer na temporada 2019. Primeira mulher a integrar o time oficial na história da Honda Racing Brasil, ela é a atual bicampeã brasileira e do Enduro da Independência, tradicional prova de regularidade do calendário nacional. “Estou muito feliz pelo meu segundo título latino-americano e por estar na equipe Honda Racing, uma conquista muito importante para mim e para nós, mulheres no esporte”, afirma Bárbara.

No Chile, a conquista da taça latino-americana na categoria Pró, a principal do certame, teve sabor especial. “Chegar aqui e ser bicampeã latino-americana é importantíssimo, ainda mais agora com o título na categoria Pró, o que é um feito ainda maior. Foi um bicampeonato com gosto de dever mais que cumprido”, ressalta.

Para subir no lugar mais alto do pódio, Bárbara teve de se adaptar rapidamente ao terreno arenoso e à motocicleta Honda CRF 250RX, já que no Brasil ela compete com o modelo nacional CRF 250F. “Foi uma prova cheia de emoções, uma experiência maravilhosa. Tive um apoio sensacional da equipe Honda Racing do Chile, que deixou a moto na medida certa para mim. A Honda CRF 250RX foi impecável no desafio. A minha principal dificuldade foi o terreno pesado e arenoso, muito diferente do tipo de solo que estou acostumada no Brasil”, explica Bárbara.

Apesar da temporada 2019 estar terminando, Bárbara está a caminho de mais uma competição no exterior. “Estou na reta final para fechar o ano com chave de ouro. Na semana que vem, embarco para Portugal, onde disputo o Enduro Internacional Feminino. Vou fazer o melhor que eu puder, quero novamente representar muito bem o Brasil”, concluiu. A prova, na cidade de Lousada, será realizada no dia 20 de outubro.

Por Leo Tavares direto da redação, com a colaboração da Mundo Press e foto de F22 Pictures.